História Do Biscoito Gingerbread de natal

postado em: Sem categoria 0

Era uma vez…

Uma mulher que se queixava para o marido que queria ter um filho, porém ambos já eram mais velhos. A velhinha então decidiu fazer um biscoito de gengibre em formato de boneco e colocou no forno para assar. Quando ela abriu o forno, o biscoito pulou da forma e saiu correndo pela janela aberta da cozinha.
O casal correu atrás dele na esperança de comê-lo para saciar sua fome. O boneco gritava “Corram! Corram! Corram o mais rápido que puderem! Vocês não podem me pegar! Eu sou o Gingerbread Man”.
Enquanto corria, o Gingerbread Man encontrou um porco, uma vaca faminta e um cavalo que também queriam devorá-lo. Gingerbread Man falou mais uma vez: “Corram! Corram! Corram o mais rápido que puderem! Vocês não podem me pegar! Eu sou o Gingerbread Man!”.
Então, o biscoito de gengibre percebeu que estava correndo em direção ao rio. “Oh, não! O rio! Agora eles vão conseguir me pegar! Como eu vou conseguir atravessar o rio?”, ele se perguntou.
Foi nesta hora que uma esperta raposa saiu de trás da árvore e se dispôs a ajudar o biscoito-homem a atravessar o rio. O biscoito pulou em seu rabo e lá se foram eles atravessando o rio.
Quando estavam quase chegando à outra margem, a raposa pediu para ele pular no seu focinho para não afundar.
Apesar do medo de ser comido pela raposa, o Gingerbread Man pulou no focinho dela.
Então, ela o jogou para o alto, com a intenção de agarrá-lo com a boca para matar a sua fome.
Mas o homem de biscoito era mais esperto do que a raposa e saiu correndo, dizendo: “Corra! Corra! Corra o mais rápido que puder! Você não pode me pegar! Eu sou o homem de biscoito de gengibre!” A raposa escorreu na margem do rio, caiu na água e foi levada pela correnteza.
E, desde esse dia, o homem de biscoito de gengibre corre por aí, sem que ninguém consiga pegá-lo!

A Rainha da Inglaterra Elizabeth I, da Inglaterra, resolveu fazer certa vez para uma de suas festas de Natal, homenzinhos de biscoito de gengibre com a cara dos convidados. Desde então, esta tradição continua a ser realizada na Europa e na América do Norte.

Aprenda como fazer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *